Portas que suspiram

Não entre em pânico!
Semana passa me peguei assistindo pela milionésima vez o filme do guia dos mochileiro das galaxias, um dos meus livros favoritos. Essa semana, em um dos meus passeios pela livraria mais próxima que conseguia encontrar, não sei se por conhecidencia, ou se por obra do destino, encontrei um livro “novo” de Douglas Adams a venda, na verdade ele não é muito novo, eu que não o conhecia, se chama O Salmão da Duvida. Estou me deliciando com as paginas de artigos escritos por Adams e a cada leitura, sendo tomado por um misto de alegria e tristeza. Alegria porque toda aquela conversa sobre cachorros, viagens e arraias me animam muito, tristeza por me lembrar que faz mais de uma década que ele nos deixou…

Realmente recomendo a leitura do livro, ele me esta dando muitas ideias, assim como todos os outros livros dele me deram, mas com esse me sinto mais próximo do autor, como se ele estivesse falando diretamente a mim, me identifico muito com ele, não é atoa que ele é considerado por muitos um dos melhores autores de ficção cientifica de todos os tempos.
Não sei porque escolhi o titulo Portas que suspiram, mas esse é um dos meus pontos favoritos do guia, se é que se pode ter uma parte favorita. Não sei porque mas essas portas sempre me intrigaram de uma maneira peculiar, as vezes até mais que as duas cabeças e os três braços do presidente Beeblebrox , ou o motor bistrômatico, ou até a cachalote que foi criada no céu pelo gerador de improbabilidade infinita.
Voltando ao assunto, recomendo o livro a todos que querem conhecer mais a fundo a vida de Adams, todos que procuram alguma inspiração para começar a escrever uma introdução (piada para quem já leu o livro, volte aqui depois que ler e provavelmente vai achar mais engraçado), ou até quem procura uma diversão para os momentos pacatos do seu dia.
PS: Respondam se souberem… Porque um hobbit entrou na coração de ouro?
Vizualizações: 790 |

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *