Esperar, Filas e Rodas

   Como é triste esperar, seja em um fila para fazer qualquer coisa (Até porque para fazer qualquer coisa você precisa de uma fila por aqui), seja esperando alguém ou algo chegar, seja esperando a hora para sair do serviço. A espera é uma coisa muito triste.
   Eu comecei querendo falar sobre a tristeza de esperar, porque isso é realmente triste, mas o que me deixou mais triste ainda foi pensar em filas. O ser humano faz fila para tudo, se existe alguma coisa que você quer você precisa entrar em uma fila. A fila na verdade foi criada para evitar que os espertinhos chegassem depois e passassem na frente das pessoas que já estavam esperando, o problema que ocorre é que esses espertinhos burlaram o sistema e inventaram o famoso “furar fila”, que consiste em entrar na frente de um cidadão despercebido para tomar seu lugar ou o famoso “dar beirinha”, que consiste em dar um espacinho para seu amigo que esta atrasado, tirando o direito das outras pessoas de chegar primeiro que ele, porque na verdade, chegaram primeiro que ele, e até o controverso “guardar lugar”, que consiste em chegar atrasado de propósito, deixando uma pessoa na fila para guardar lugar de n pessoas (onde “n” tende de mais de uma ao infinito). 

   Podemos concluir que a fila é um objeto falho, como todo o de criação humana, inclusive a fila tem tantos problemas que a inseriram até na computação (que por um acaso já tinha problemas demais), mas porque ainda usamos a fila? Não importa, se você chegou duas horas antes e está esperando onde deveria, mas não está na fila, você terá que ir para o final da fila, não adianta reclamar, é assim que funciona.
   Falei de computação ali em cima não falei? Porque sera que ela é tão complexa? Existe uma frase que ouvi uma vez: “A computação veio para resolver problemas que não existiam antes dela!”, ou seja é como você criar uma solução para um problema que vai surgir a partir da sua solução… Parece que vai dar um nó na sua cabeça? Vamos a um exemplo pratico.
   Imagine antes da criação da roda… Ninguém morava a mais de algumas cavernas de distância, assim se alguém se mudasse para outra caverna era só andar um pouquinho e chegar lá, com a invenção da roda foi possível visitar pessoas que moravam longe, mas como ninguém morava longe ainda, resolveram começar a se mudar, para utilizar essas benditas rodas. Se não me engano também foi assim que surgiu o engarrafamento.
   Acredito que já divaguei demais por hoje… Só escrevi esse texto porque estou esperando, ah… como é triste esperar! 🙁
Vizualizações: 885 |

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *